top of page

barro, gatinhos e doutora rose: cartinha #29


olar amigos! na edição de hoje temos: as aventuras da ceramista tosca (na verdade, como eu não tenho como queimar a argila, não seria cerâmica...) as aventuras da argilista tosca (acho q essa palavra não existe) as aventuras da barrista... (ai não parece bairrista) AVENTURAS EM BARRO! tá esse acho q ficou ok hehehe

o Jacques já queimado: ele saiu do forno como saído de uma guerra: sem uma perna e sem os olhos (colei com cola branca, nem ideia se vai durar). o jacques foi feito na aula de cerâmica lá do atelier livre. se você é de poa e não conhece o atelie livre, se liga: os cursos são muito em conta (esse saiu 250 por um semestre inteiro, com um encontro por semana). fiz uma votação no instagram sobre deixar branco (como uma chique estátua grega) ou colorir e o povo escolheu em esmagora maioria: colorir. então no próximo capítulo das aventuras em barro: cores do Jacques. além da cerâmica eu também fiz pães e massa de pizza nas últimas semanas. nunca tinha feito. apesar de amar comer bem eu nunca tive nenhuma aptidão na cozinha. mas aí começou a me dar essa vontade de fazer coisas com as mãos: bater argila, bater massa de pão. minhas cerâmicas se quebram, minhas massas de pizza ficam tão duras que quase quebram dentes e os meus pães... bom, é pão né, até quando é ruim é bom! e é muito legal trabalhar com as mãos, desenhar é bom, mas quando você coloca um objeto no mundo é muito divertido também - mesmo que seja um pão duro, uma pizza quebra-dentes ou uma figurinha de barro - porque foi algo que VOCÊ fez! eu recomendo. se ficar feio você bota na água e reutiliza o barro. se o pão ficar ruim você dá pra um parente chato. ainda sobre barro: me inscrevi num curso de escultura de rosto, com argila, e esse é o Marco Orégano:

ele não é muito simpático, mas tem um bom coração. o curso dura um mês e é no atelie selmo ramos, eles também têm curso de cerâmica e loja lá, é um espaço bem bonito, com um pátio cheio de esculturinhas e passarinhos.


Esse quadrinho com o ponto de vista da medusa (em inglês). Aliás, todos os quadrinhos desse cara são incríveis!

tatu: desenhei e tatuei um monte de gatinhos:

a ideia é fazer uma semana temática de bicho todo mês, a próxima será de doguinhos. mais aventuras em barro:


esse é o Klaus, o Feio. as cores do klaus são tinta spray (daquelas multiuso), esmalte de unha e caneta posca. não sei se dura muito, mas tá nas minhas plantinhas (tal qual um bizarro gnomo de jardim) e por enquanto ainda tá lá: firme e forte


os três edgar, ainda só no barro. sim, todos se chamam edgar. eu sou uma pessoa muito criativa.

nesse edgar passei um spray com brilho, coloquei alguns detalhes com esmalte de unha e o roxinho ali é posca

o segundo edgar eu usei uma tinta de madeira (a gente tava pintando um armário e eu aproveitei a tinta) eu acho que prefiro assim: foscão

essa lolinha é minha primeira (e certamente única) auto tatuagem! finalmente consegui. é praticamente um rito de passagem que todo tatuador faz: uma tatu em si mesmo. acho que fiquei com mais dor nas costas do que na perna...

A Doutora Rose Eu assistiria uma série de uma detetive psiquiatra chamada Doutora Rose: investigando a mente humana A Doutora Rose é alta e magra, até o seu rosto e mãos são compridos, se ela se vestisse de preto seria uma personagem do tim burtom. Mas ela não se veste de preto: Doutora Rose só usa tons de marrom e bege. As roupas da doutora são elegantes, mas é uma elegância de outra época, a Doutora Rose parece saída de um filme noir de detetive dos anos 50. Mas talvez o mais curioso no visual da Doutora Rose é o seu cabelo: é enorme, chega na cintura, mas está sempre preso num coque ou, em raras ocasiões numa trança, e você só percebe que ele é gigante se olhar ela de costas. é um cabelão bonito, bem cuidado, meio ruivo grisalho, na mesma paleta de cor das roupas que ela usa. Ela também sempre usa um colar de pérolas com uma argola grandona no centro onde ela prende os óculos. E passa o tempo todo colocando e tirando o óculos da argolona. Sabe o detetive ruivão de csi miami? no começo de todo episódio ele faz um trocadilho marcante, coloca o óculos e entra o YEAAAAAAAAAAHHH da música de abertura?? Então, cada vez que a Doutora Rose enfia o óculos na argolona começa a tocar a abertura da série da Detetive de Mentes: investigando o cérebro (apenas na minha cabeça, obviamente, não quero assustar Dr Rose). Doutora Rose, a detetive da mente. Na sua mesa estão casos não resolvidos de pacientes ao longo de décadas. Porque a idade da Doutora Rose, assim como de vários personagens fascinantes, é um mistério: ela pode ter entre 45 e 70 anos. O escritório da Doutora Rose: é cheio de papéis, parece a sala de algum escritor obcecado em terminar o livro em que trabalha há 20 anos: tem pilhas de papel por todo lado: na mesa dela, nos móveis atrás dela. Na verdade não parece de um escritor, porque não há livros, parece a sala de algum detetive obcecado com um mesmo caso há 20 anos. Teria Doutora Rose enfrentado um caso de um paciente que ela não conseguiu resolver e a atormenta há 20 anos?? O caso que definiu toda a sua carreira, o caso em que ela quase desistiu da profissão, mas que, ao chegar no fundo do poço, descobriu que a vocação em estudar a mente humana é mais forte e por isso seguiu em frente, mas sem nunca esquecer O Caso. E de vez em quando, ao tomar um café e olhar pela janela, ela se pergunta onde estará o paciente x, o paciente que ela não esquecerá jamais. Bom, mas voltando ao consultório: claro que os móveis também são antigos. E nenhum computador. Dr Rose odeia technologia? A bolsa da Doutora não é grande o suficiente pra carregar um notebook, então não tem nenhum tipo de eletrônico na sala dela, talvez um celular, mas eu nunca o vi. Dr Rose é old-school. Enfim, a Doutora Rose é um mistério. Seria muito mais legal passar a sessão ouvindo a história da Doutora, todas as suas aventuras como detetive da mente humana, sobre o caso que a atormenta há mais de 20 anos, será que é esse o motivo que ela odeia computadores e tecnologia?? etc. Mas ela não fala nada sobre ela, só eu fico lá na minha ladainha sem graça, imaginando todas os episódios de Doutora Rose: investigando mentes. até a próxima cartinha, pessoal! fiquem bem.

47 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page